28 de out de 2009

INFLUÊNCIA DA MENOPAUSA (OU PÓS MENOPAUSA), SOBRE O PACIENTE COM DIABETE OU POSSIBILIDADE DE ADQUIRIR O DIABETES MELLITUS


CATEGORIA IMPORTANTE DE ASSUNTO: DIABETE (OU DIABETES MELLITUS) envolvendo a síndrome metabólica, hiperglicemia (aumento de glicose), hiperdeslipidemia (aumento de colesterol total e frações), obesidade abdominal (obesidade central ou obesidade viceral), endocrinologia cardiovascular, Endocrinologia reprodutiva (hormônios que interferem na fertilidade) (incluindo hormônios placentários que interferem na fertilização).



INFLUÊNCIA DA MENOPAUSA (OU PÓS MENOPAUSA), SOBRE O PACIENTE COM DIABETE OU POSSIBILIDADE DE ADQUIRIR O DIABETES MELLITUS.



Muitas mulheres pós-menopausa (EM ESTADO DE MENOPAUSA) convivem com o diabetes mellitus, no entanto, há pouca informação sobre como as mudanças que ocorrem na época da menopausa pode afetar a exclusividade de problemas que ocorrem durante algumas doenças ou deficiências de diabete nesta população. Embora o (PESO) SOBREPESO OU OBESIDADE que  ocorre durante a transição menopausa (ENTRANDO NA MENOPAUSA) é largamente atribuído ao envelhecimento, em vez de a transição em si, síndrome do climatério, as mudanças na composição corporal foram independentemente associados com o estado de menopausa. Estas mudanças na composição corporal que  por sua vez, foram associados com alterações na sensibilidade à insulina e metabolismo (ATIVIDADE) da glicose em mulheres pós-menopáusicas (EM ESTADO MENOPAUSA). A terapia hormonal parece ter efeitos neutros ou benéficos sobre as mudanças adversas na composição corporal associados à menopausa. Se o status da menopausa (DE MENOPAUSA) independentemente influência o risco de diabetes é controversa. Contudo, os resultados consistentes a partir de grandes ensaios clínicos sugerem que a terapia hormonal pós-menopausa diminui o risco de desenvolver diabetes mellitus. Da mesma forma, muitos estudos sugerem que a terapia hormonal pós-menopausa tem neutro ou efeitos benéficos sobre o controle glicêmico (glicose) entre as mulheres já diagnosticados como tendo diabetes mellitus. Futuros estudos são necessários para esclarecer os mecanismos proximos a estas relações e determinar como estas observações devem influênciar as recomendações para o atendimento de mulheres na pós-menopausa com diabetes mellitus.

NOSSA OPINIÃO: O que percebemos na Clinica Diária, é o TERRORISMO, efetuado aos pacientes, que já superou a própria opinião dos médicos; provavelmente por falta de literatura clara de fácil acesso aos próprios colegas, isto porque manter-se atualizado custa Muito caro; outra possibilidade é a existência não muito clara de corrente com outras opiniões, entretanto estas posições tomada por cientistas nesses artigos representam uma avaliação SÉRIA E RESPONSÁVEL por pesquisadores e publicada por revistas especializadas e as mais respeitadas em todo o MUNDO, e são quantidade de artigos revisado por todos. Portanto trate da sua Menopausa para ter uma melhor qualidade de vida!

DR. João Santos Caio Jr –
CRM:20611
Endocrinologista


Nature Reviews Endocrinology 5, 553-558 (Outubro 2009)
doi: 10.1038/nrendo.2009.166

Szmuilowicz Emily D. Cynthia A. Stuenkel & Ellen W. Seely Sobre os autores

Divisão de Endocrinologia, metabolismo e Medicina Molecular, da Universidade Northwestern, em Chicago, IL, E.U.A..

Divisão de Endocrinologia e Metabolismo, Universidade da Califórnia, San Diego, CA, E.U.A..

Divisão de Endocrinologia, Diabetes e Hipertensão, Brigham and Women's Hospital, Harvard Medical School, Boston, MA, E.U.A..

Endereço para correspondência: EW Seely, Divisão de Endocrinologia, Diabetes e Hipertensão, do Brigham e Women's Hospital, Harvard Medical School, 221 Longwood Avenue, Boston, MA 02115, E.U.A.

Publicado em 18 de agosto de 2009





Nenhum comentário: